Reciclagem de Lâmpadas Fluorescentes

Diversos tipos de lâmpadas fluorescentes

No Brasil são consumidas cerca de 100 milhões de lâmpadas fluorescentes por ano. Desse total, 94% são descartadas em aterros sanitários, sem nenhum tipo de tratamento, contaminando o solo e a água com metais pesados.

Mesmo possuindo o selo Ence (Etiqueta Nacional de Consumo de Energia) criado pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial) que garante ao menos um ano de garantia para esse produto, o consumidor ainda não sabe como fazer para se desfazer deste produto.

Uma lâmpada fluorescente contém, em média, 10 mg de mercúrio e pode contaminar 20 mil litros de água, atingindo solos e provocando diversos males à saúde. Mesmo assim apenas 6% delas são descartadas de forma adequada.

Além do descarte adequado dessas lâmpadas, o consumidor precisa estar atento a cuidados relativos ao seu manuseio. Ao quebrar, uma lâmpada fluorescente libera mercúrio no ar, o que pode ser altamente prejudicial a nossa saúde. Se isso acontecer é recomendado não utilizar equipamentos de aspiração para a limpeza e que se abram todas as portas e janelas do ambiente para aumentar a ventilação. O consumidor deve se ausentar por 15 minutos do aposento e somente após este tempo coletar os cacos de vidro que devem ser postos em um saco plástico. O uso de avental e luvas é altamente recomendável. O uso de um papel umedecido pode facilitar na remoção de cacos menores. Coloque esse papel junto ao material recolhido no plástico e feche-o bem para evitar a liberação do mercúrio no ar. Após a finalização do procedimento deve-se lavar bem as mãos em água corrente e com sabão.

Aqui uma lista de empresas que realizam reciclagem deste tipo de material:

MG
Recitec – (31) 3213-0898 e 3274-5614
HG Descontaminação – (31) 3581-8725

PR
Bulbox – (41) 3357-0778
Mega Reciclagem – (41) 3268-6030 e 3268-6031

RS
Sílex – (51) 3421-3300 e 3484-5059

SC
Brasil Recicle
– (47) 3333-5055

SP
Apliquim – (11) 3722-5478
Rodrigues & Almeida Moagem de Vidros – (19) 9649-6867
Tramppo – (11) 3039-8382
Naturalis Brasil – (11) 4496-6323 e 4591-3093

Atualmente, a falta de uma estrutura de coleta para que o consumidor leve suas lâmpadas e o pequeno número de empresas capacitadas para realizar a destinação correta do material são os grandes desafios. Em todo o País, não existe mais que uma dezena de empresas licenciadas para reciclar o material.

A situação tende a melhorar com a nova Política Nacional de Resíduos Sólidos, onde cidadãos, empresas e governos são responsáveis por retornar o resíduo criado pelo consumo.

Se você quiser saber mais a respeito confira os vídeos abaixo:

 

 

 

Você Sabia?

Por que um condutor elétrico de “95 milímetros” não possui uma bitola de 95mm?

O número que estampa os condutores (fios, cabos, …), é popularmente chamado equivocadamente. Essa medida que lemos é na verdade a seção nominal, e é medida em  milímetros quadrados, de acordo com o padrão IEC (International Electrotechnical Commission ou Comissão Eletrotécnica Internacional), sendo caracterizada pela norma NBR NM 280, em função da Classe do condutor.

Abaixo uma tabela para auxiliar na solução dessas dúvidas

 
FIOS E CABOS PADRÃO AWG / MCM
A
merican Wire Gauge e 1000 Circular Mils
(1 mil = .0254 mm)
  FIOS E CABOS
PADRÃO MÉTRICO
Bitola Diâmetro
aprox.
[mm]
Seção
aprox.
[mm²]
Resistência
aprox.
[ohm/m]
Corrente
máx.
[A]
Seção
nominal
[mm²]
Corrente
máx.
[A]
40AWG 0,08 0,005 3,4
39AWG 0,09 0,006 2,7
38AWG 0,10 0,008 2,2
37AWG 0,11 0,010 1,7
36AWG 0,13 0,013 1,4
35AWG 0,14 0,016 1,1 1
34AWG 0,16 0,020 0,86
33AWG 0,18 0,025 0,68
32AWG 0,20 0,032 0,54
31AWG 0,23 0,040 0,43
30AWG 0,26 0,051 0,34 2 0,05 2
29AWG 0,29 0,064 0,27
28AWG 0,32 0,081 0,21
27AWG 0,36 0,10 0,17
26AWG 0,41 0,13 0,13
25AWG 0,46 0,16 0,11
24AWG 0,51 0,21 0,084 4 0,20 4
23AWG 0,57 0,26 0,067
22AWG 0,64 0,33 0,053 6 0,30 6
21AWG 0,72 0,41 0,042
20AWG 0,81 0,52 0,033 9 0,50 9
19AWG 0,91 0,65 0,026
18AWG 1,0 0,82 0,021 11 0,75 10
17AWG 1,2 1,0 0,017
16AWG 1,3 1,3 0,013 13 1,0 12
15AWG 1,5 1,7 0,010
14AWG 1,6 2,1 0,0083 16 1,5 15
13AWG 1,8 2,6 0,0066
12AWG 2,0 3,3 0,0052 22 2,5 21
11AWG 2,3 4,2 0,0041
10AWG 2,6 5,3 0,0033 35 4 28
9AWG 2,9 6,6 0,0026
8AWG 3,3 8,4 0,0021 50 6 36
7AWG 3,7 10 0,0016
6AWG 4,1 13 0,0013 62 10 50
5AWG 4,6 17 0,0010
4AWG 5,2 21 0,00082 70 16 68
3AWG 5,8 27 0,00065
2AWG 6,5 34 0,00051 90 25 89
1AWG 7,4 42 0,00041 110 35 111
1/0AWG 8,2 54 0,00032 130 50 134
2/0AWG 9,3 67 0,00026 170
3/0AWG 10,4 85 0,00021 190 70 171
4/0AWG 11,7 107 0,00016 210 95 207
250MCM 12,7 120 225
300MCM 13,8 150 250 120 240
400MCM 15,4 185 300 185 310
500MCM 17,5 240 340
600MCM 19,5 300 380 240 365
800MCM 22,6 400 450 300 420
1000MCM 25,2 500 480 400 500
500 580

NBM x NCM

Quais as diferenças entre NBM e NCM?

image

Primeiramente vamos explicar o significado dessas siglas: NBM é a Nomenclatura Brasileira de Mercadorias, enquanto NCM é Nomenclatura Comum do Mercosul, que é adotada pelo Brasil a partir de janeiro de 1996 e também pelos demais países do Mercosul (Argentina, Paraguai e Uruguai).

Ambas as nomenclaturas tiveram por base o Sistema Harmonizado de Designação e Classificação de Mercadorias (SH), que é formado pelo seis primeiros dígitos da nomenclatura. De acordo com o interesse de especificação de mercadorias, o SH possibilita aos países a criação de mais dígitos identificadores. Em suma, o SH apresenta os primeiros seis dígitos dos oito que compõem na NCM. A NBM utilizava dez.

A correlação NCM x NBM refere-se aos códigos da NCM atualmente em vigor e aqueles da NBM quando da substituição.

Infelizmente não há uma lista dos NCM exclusivos para produtos elétricos por que eles se confundem com produtos eletrônicos.

Faça o download da tabela de correlação NBM x NCM aqui. (arquivo XLS hospedado no site do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior).

Link Corrigido:aqui